segunda-feira, 14 de outubro de 2013

Seja tester do Facebook , empresa lança programa Alpha para testes de aplicativo no sistema Android



O Facebook quer melhorar a experiência do usuário com a interface do seu aplicativo para Android. Desde junho, a empresa recebe comentários, sugestões de aprimoramento e relato de problemas encontrados pelos usuários através do programa Beta de testes com o app.

Nesses quatro meses, o programa tem ajudado a empresa a entender a diversidade de uso da ferramenta e a eliminar os casos de problemas ou mau funcionamento. Com mais de 1 milhão de usuários ativos na plataforma beta ao redor do mundo, com pessoas de 150 países e utilizando até 50 aparelhos diferentes, o Facebook consegue ter respostas mais imediatas sobre seu aplicativo e obter dados sobre o desempenho do app em diferentes versões do sistema operacional e em aparelhos com configurações distintas de hardware.

Com esse programa, o Facebook diz já ter conseguido solucionar problemas antes das atualizações chegarem ao público geral; são casos que passariam despercebidos pela empresa não fosse a resposta dos usuários cadastrados nessa plataforma.




Com base nessa experiência, o Facebook resolveu lançar um novo programa com a participação dos usuários. Com o objetivo de ter respostas em estágio ainda mais inicial de desenvolvimento, o Alpha permite que as pessoas conheçam funções, ferramentas e design em caráter experimental do aplicativo para aparelhos Android.

O engenheiro-técnico responsável pelo programa, Christian Legnitto, informa no blog oficial da rede social que o aplicativo alpha não é para qualquer um; como é uma ferramenta voltada para testes de programação, o app apresenta muita instabilidade, mudança de aparência, comportamento e formato, com recursos que aparecem e somem de uma hora para outra.

Para quem se interessar em participar desse programa e oferecer respostas ao Facebook para o aprimoramento do aplicativo para Android, seguem algumas etapas de inscrição:



Entrar no grupo Facebook for Android Alpha Testers
Permitir os downloads do programa alpha clicando em “Become a Tester” na Play Store (precisa entrar no grupo antes)
Atualizar o app do Facebook na Play Store
Permitir as atualizações automáticas do app
Informar problemas e enviar sugestões através do item “Report a Problem”

O Facebook informa ainda que o programa Alpha vai funcionar de maneira bem similar ao Beta, e espera com isso ter respostas ainda mais rápidas, em estágio ainda mais inicial de desenvolvimento, sobre as modificações e funcionalidades do seu aplicativo para sistema Android.

domingo, 23 de junho de 2013

Quer ganhar US$ 100 mil testando? Ache um bug no Windows 8.1 que a Microsoft Paga!!

A Microsoft está oferecendo uma recompensa de mais de US$ 100 mil (R$ 223.400) para quem conseguir identificar falhas no Preview do Windows 8.1, que deve ser lançado no próximo dia 26. Esta é uma tentativa da empresa de se livrar de erros graves que possam ter passado despercebidos na atualização do sistema operacional.
A empresa pagará até US$ 100 mil para quem descobrir e reportar brechas de segurança importantes e recompensas de até US$ 50 mil (R$ 11.700) para quem encontrar soluções a esses problemas. Haverá recompensa também pela identificação de “vulnerabilidades críticas” no Internet Explorer 11 Preview, em torno de US$ 11 mil (R$ 24.500) .





sábado, 1 de junho de 2013

laboratorio da Ufam e INCT-Sec atua com teste de softwares para sistemas embarcados



Os sistemas embarcados permitem agregar capacidade computacional a um circuito integrado ou equipamento com uma função pré-definida. Estão presentes em celulares, automóveis e aeronaves e em caso de falha podem colocar vidas em risco, o que exige uma atenção maior para realização de testes.

O desenvolvimento de técnicas de teste baseada em modelos para esses tipos de sistemas críticos é o principal tema de pesquisa do Laboratório de Experimentação e Teste de Software (ExperTS) da Universidade Federal do Amazonas (UFAM), integrante do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Sistemas Embarcados Críticos (INCT-SEC).

Sediado no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP em São Carlos, o INCT-SEC integra instituições universitárias, de pesquisa e parceiros empresariais apoiando o desenvolvimento de soluções e aplicações para áreas estratégicas, como meio ambiente, segurança, defesa nacional e agricultura, bem como a formação de recursos humanos e a transferência tecnológica.

De acordo com o Prof. Dr. Arilo Claudio Dias Neto, coordenador do grupo ExperTS, “as técnicas desenvolvidas pelo laboratório representam uma das partes de um ambiente de apoio de testes para SEC previsto no Instituto, chamado de Maraká e que visa apoiar as diferentes fases do processo de teste - planejamento, projeto, execução e controle”.

O laboratório também pesquisa a automação de testes para sistemas baseado em banco de dados, geração de testes a partir de interfaces gráficas, planejamento de teste em projetos com equipes geograficamente distribuídas e seleção de tecnologias de software para projetos com características específicas. Referente a este último tema, foi desenvolvida uma abordagem de apoio à seleção de técnicas de modelagem arquitetural para sistemas embarcados críticos.

O professor Arilo afirma que “nossa meta de longo prazo é a construção e disponibilização de um ambiente de apoio a testes de software que possa ser aplicado em projetos da indústria para desenvolvimento de diferentes tipos de aplicações”.

Além do professor Arilo, são integrantes do INCT-SEC o mestre Aurélio da Silva Grande; a mestranda Nayane Ferreira Maia e a recém-graduada Andreza Morgana Fonseca Viana de Castro, todos pertencentes ao Grupo de Trabalho GT4 - Aplicações Integradoras do INCT-SEC.

Rede


Para o coordenador do grupo ExperTS, a participação na rede do INCT-SEC “possibilitou uma maior cooperação com outros pesquisadores nacionais, o que contribuiu para uma maior evolução de nossas pesquisas. Problemas similares puderam ser trabalhados de forma conjunta provendo resultados mais sólidos e aplicáveis em cenários reais. Além disso, foram apoiadas participações em conferências nacionais e internacionais que também possibilitaram compartilhar conhecimento e resultados com a comunidade de engenharia de software”.

A aplicação de experimentos de testes em um projeto real desenvolvido pelo INCT-SEC na área de Veículos Aéreos Não Tripulados (VANTs) exemplifica a colaboração propiciada pela inserção nesta rede.

O ExperTS também conta com parcerias da Universidade Estadual Paulista (UNICAMP), Universidade Federal de Goiás (UFG), Universidade Federal do Paraná (UFPR), Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO), Universidade Estadual do Ceará (UECE), Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande Sul (PUCRS), Universidade Federal Fluminense (UFF), Imperial College London e SIEMENS Corporate Research.

Mais informações:

sexta-feira, 12 de abril de 2013

Teste revela que software bancário brasileiro pode ser causa de travamento do Windows 7

O plugin bancário G-Buster, da fabricante brasileira GAS Tecnologia, quando instalado no Windows 7, pode ter sido a causa do travamento do sistema operacional da Microsoft que afetou usuários do Brasil após atualização gratuita realizada na terça-feira (9).
O site "Linha Defensiva" realizou um teste com este plugin G-Buster, constatando que ele é incompatível com a atualização do Windows 7. Entretanto, ele pode não ser a única incompatibilidade da atualização.
"Nossa equipe ficou sabendo que o G-Buster poderia estar relacionado com o problema e resolvemos testar. Embora a máquina-laboratório esteja desatualizada, é muito provável que a causa desse problema seja a incompatibilidade entre o plugin bancário e a atualização, visto que o Windows carregou sem problemas após a instalação da atualização e sem o plugin instalado", disse Maria Cristina, do Linha Defensiva, que realizou o teste.
O teste foi feito com o plugin G-Buster usado no site do banco Caixa Econômica Federal, um dos clientes da GAS. Além dela, Itaú, Banco do Brasil, Santander, Banco do Nordeste, Banco da Amazônia, Banestes, Unicred, Sicredi e Mercantil do Brasil são clientes da empresa e podem ter plugins que apresentam incompatibilidade com a nova atualização do Windows 7, mas isso não foi confirmado pelo "Linha Defensiva". Sites do Ministério da Saúde, da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb) e Gabinete de Segurança Institucional também são clientes da GAS Tecnologia.
O site, para o teste, usou um computador com sistema Windows 7 (32-bit) sem ser atualizado há um ano. Ao instalar a atualização que travou os computadores brasileiros, a KB2823324, o sistema não teve problemas. Entretanto, ao realizar o mesmo teste, mas acessando o site da Caixa Econômica Federal antes de realizar a atualização de sistema, quando foi feita esta atualização, o sistema travou.
Esta mesma máquina travada foi restaurada, eliminando o G-Buster. Ao instalar a atualização KB2823324, o computador não apresentou problemas.
O  G1  procurou a GAS, que não se manifestou sobre o caso até a publicação desta reportagem.
Procurada pelo  G1  , a Microsoft ainda não informou até o momento uma solução oficial para o problema.
 Outras incompatibilidades 
 O software da GAS pode não ser o único responsável pela falha do Windows 7 após a atualização. O "Linha Defensiva" afirma que a versão empresarial do software antivírus da Kaspersky Lab "pode gerar um erro de “licença inválida” no Windows 7, Vista e 2008, 32 e 64-bit, após a instalação do KB2823324

Teste de Renderização de Mensagem desenvolvido pela Akna possibilita correção de erros e melhor planejamento

 A Akna, especialista no desenvolvimento de softwares inteligentes para marketing digital, criou o Teste de Renderizaçãode Mensagem.
O design de HTML para e-mail marketing ainda é um desafio para grande parte dos profissionais do ramo e a multiplicidade de leitores e dispositivos tornou mais difícil para as empresas saberem como os clientes recebem os seus e-mails.
O software da Akna permite uma pré-visualização das mensagens. A solução se comunica em tempo real com os principais provedores de e-mail e consegue mostrar exatamente como chegarão à caixa de entrada dos destinatários, considerando as diferenças no código, os filtros anti-spam e o bloqueio de imagens.
Dados divulgados em fevereiro pela Return Path indicam que as campanhas de e-mail marketing no Brasil apresentaram um crescimento na taxa de entregabilidade, mas houve queda nas taxas de leitura das mensagens. Atualmente, 67% dos e-mails chegam à caixa de entrada, enquanto 17% caem na caixa de spam e 16% são perdidas ou bloqueadas. Essas informações reforçam a importância das empresas trabalharem o conteúdo das mensagens para manter e conquistar mais leitores.
A nova ferramenta ajudará, também, os designers de e-mail a adequarem os trabalhos à variedade de celulares e tablets, já que utilização desses dispositivos móveis cresce a cada ano. Segundo pesquisa da Return Path, em dezembro de 2012, a participação mobile cresceu 300% desde 2010 e no mercado nacional a abertura de e-mails em dispositivos móveis chegou a 14%.